27 setembro 2011

DECLARO...


Pedro,

Filho amado, hoje sei o quanto és importante para mim e para a minha vida...
Levei muito tempo para perceber isso, mas me arrependo de ter ido embora para longe quando mais precisavas de mim. Não vi você crescer e perdi bons momentos de sua vida...
Eu era uma pessoa sem juízo e hoje sei que deveria ter ficado com você e sua avó. Deveria ter assumido minhas responsabilidades. Talvez eu fosse mais corajosa. Se tivesse enfrentado meus problemas de frente.
Mas, não... Corri vergonhosamente deles. Naquela época eu não tive coragem suficiente para enfrentá-los.
Você meu filho, não me chama de Mãe. Não o culpo por isso. Não fui uma boa mãe para você, acho que nem nunca fui aquela mãe que você tanto sonhava...
A sua mãe sempre foi a minha mãe... Eu sempre soube disso, mas o ciúmes sempre me cegou... E o impedi de chamá-la de Mãe também...
A mágoa ficou em teu peito, você sempre a guardou para si.
A maioria de seus abraços são desprovidos de amor... Amor filial. Não o culpo. Você nunca soube o que é isso, porque nunca o ensinei...
Hoje, meu filho, eu vejo a realidade... Eu tenho um filho... Me orgulho desse filho... 
Mas eu sei que no fundo, no fundo, apesar de saber que sou sua mãe; você tem por mim apenas um carinho muito grande... Apenas carinho e não amor...
Amor... Esse AMOR... Você sempre terá pela tua avó. Aquela santa mulher que te criou quando eu fui "cuidar da minha vida" e esqueci de você...
Apesar de tudo isso, filho... Continuo a te amar em silêncio e aceitando tudo o que vivemos juntos. Guardo cada carinho seu, cada gesto seu...
Porque... Eu te amo filho e te perdoo, me perdoo... pelos meus erros e pelos seus... Na verdade... O maior erro é MEU...

TE AMO PEDRO...

Este texto faz parte da Blogagem Coletiva do Blog Um pouco de mim, da Elaine Gaspareto.

06 setembro 2011

MEME LITERÁRIO - FIO DE ARIADNE

O Fio de Ariadne está lançando um meme superinteressante, e super prático também. Vamos a ele:
COMO VOCÊ LÊ?
Eu leio de qualquer maneira, mas quando o livro é empolgante, eu termino num dia só mesmo.
Leio vários livros ao mesmo tempo e dou conta de todas as histórias...
PREFERE LER ANTES DE DORMIR OU CARREGA O LIVRO PARA ONDE QUER QUE VÁ?
Ler antes de dormir só se eu não estiver com sono... Eu carrego meus livros para onde quer que eu vá e tenho que enfrentar uma fila enooorrrmmmmeeee. Porque então tenho com o que me distrair.
LÊ EM ÔNIBUS LOTADO OU PRECISA DE PAZ?
Em ônibus lotado só se estiver sentada... E também gosto de silêncio para ler (principalmente em sala de aula).
USA MARCADOR DE PÁGINA, MARCA COM ORELHA OU FECHA SEM MARCAR E ESQUECE  ONDE ESTAVA?
Aí, depende... Se o livro já vem com aquela orelha básica, vai ela mesma para marcar; se for aqueles romances de banca eu dobro para fazer orelha; mas ultimamente tenho usado marcador de livro mesmo. Muito mais prático... Também já fechei sem marcar, mas não me esqueci onde parei não...
LÊ NO RESTAURANTE, NO PARQUE, NA SALA DE ESPERA DO DENTISTA?
Bem que gostaria de ler no restaurante, mas o marido briga... No parque não há coisa melhor para se fazer, se não estiver com o marido... E na sala de espera do dentista têm muitas revistas boas para ler... Qualquer lugar maçante, dá para se iniciar uma bela leitura...
NO MOMENTO, ESTOU LENDO DOIS LIVROS: MENTES PERIGOSAS NAS ESCOLAS - BULLYING DA ANA BEATRIZ BARBOSA SILVA:
"...brincadeiras normais e sadias são aquelas nas quais todos os participantes se divertem. Quando apenas alguns se divertem à custa de outros que sofrem, isso ganha outra conotação, bem diversa de um simples divertimento. Nessa situação específica, utiliza-se o termo bullying escolar, que abrange atos de violência (física ou não) que ocorrem de forma intencional e repetitiva contra um ou mais alunos impossibilitados de fazer frente às agressões sofridas." (trecho do livro - mentes perigosas - bullying)


E JESUS, O MAIOR PSICÓLOGO QUE JÁ EXISTIU DE MARK W. BAKER:
"... Jesus nos advertiu das armadilhas que encontramos ao julgar os outros. Ele sabia que nossos julgamentos se baseiam em informações distorcidas de nosso modo de ser e que não correspondem necessariamente à realidade. (...) Esse temor do desconhecido é a base da intolerância. Ele nos leva a julgar e rotular pessoas e coisas. Quando sentimos esse tipo de medo, condenamos o que não compreendemos." (trecho do livro - jesus o maior psicólogo que já existiu).


Este post faz parte da blogagem coletiva do blog Fio de Ariadne.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...