03 junho 2014

DEVEMOS DIZER A VERDADE SEMPRE? OU APENAS QUANDO APROUVER?



O Tema que eu escolhi para falar essa semana é a VERDADE.
Estamos passando por uma situação delicada aqui em casa. Meu irmão está no CTI. Faz um mês e 04 dias que ele foi internado. Primeiro em quarto particular; depois no SUS.
Dia 14/05 o médico achou por bem transferi-lo para o CTI para ter uma melhor observação (na verdade ele adquiriu a temida septicemia, ou seja, a tal "infecção hospitalar"). Está lá desde então...
O mérito da verdade que já devia ter sido falado para a família  (septicemia) deu seu primeiro passo!

Por que ele foi para o CTI? Porque ele piorou (meu irmão é tabagista, tem enfisema, decorrente do fumo, tem esquizofrenia e estava com pneumonia) Mas não aceitava ser internado. Fazia alguns meses que já batia sua comida. Fazia alguns meses, que ele se tornou vegetariano...
Na pressa da vida, eu não notei que ele apresentava o mesmo quadro que minha mãe apresentou quando teve AVC (dificuldade para deglutir a comida).
Confesso que deveria tê-lo internado há mais tempo... Mas como fazer isso com uma pessoa idosa, intransigente, teimosa? Muito difícil né?
Pois é... Quando aceitou ser internado; eu o fiz...
Pautei pela "verdade dele"...
Se fiz mal; assumo meu erro!

O segundo passo da verdade entra nessa questão:
Todos os antibióticos que deram a ele no CTI, surtiram pouco efeito (faziam efeito durante muito pouco tempo) e tinham que trocar de novo! Então ele melhorava na troca e depois de algum tempo piorava de novo.
Desde sua estada no quarto particular, na enfermaria masculina, ele estava no oxigênio, depois passou para o respiradouro mecânico, voltou ao oxigênio e finalmente fizeram uma cirurgia para colocar o oxigênio no pescoço dele!
Quando perguntávamos o estado dele; recebíamos a mesma resposta: ESTÁVEL! (como assim estável?; ou bom ou ruim; ou grave ou gravíssimo?)
Terceiro passo da verdade: Por que os médicos em geral não falam a verdade simples para a família? Por que não são sinceros? Não seria mais fácil e menos doloroso?

Meu irmão está com os rins parados (os dois) e está fazendo diálise. Dizem que o quadro é reversível. (Como assim reversível?) Nunca vi em toda a minha vida, rins voltarem a funcionar... A tendência é fazer o transplante!

Voltando à VERDADE: No julgamento de "Hipócrates", eles não devem se pautar pela integridade do paciente e pela honestidade?
Não devem fazer de tudo para salvar-lhes a vida; ministrando-lhes os remédios necessários à cura?

Não vejo isso com relação ao meu irmão... O que vejo na verdade é que estão tentando colocar "panos quentes" na situação...
Encheram a minha família de esperança; que ele vai melhorar; que vai voltar para o quarto e para casa curado!

Não vejo isso... Sou mais realista... Toda vez que vou visitá-lo (e saio de lá abalada) é ele piorando de pouquinho em pouquinho...
Até onde vou aguentar? Na verdade não sei... Sei que FALHEI em minha missão!

Falhei no sentido de que, ao prometer a minha mãe que cuidaria dele, não fui capaz disso!!!

A cada dia que passa, eu rezo... Peço a Deus que faça o melhor que Ele puder para meu irmão... Não peço saúde, não peço que ele seja curado, não peço que ele volte para casa! 
Peço apenas o melhor que Ele possa fazer pra ele e à ele...

Sinto que minhas forças estão se esgotando... Mas confio em Deus acima de tudo...

Sei que para Ele nada é impossível!!!

Mas sei também que essa Hipocrisia Médica está me  desagradando em demasia e vejo que o juramento não está sendo cumprido! E aí? Devemos falar a verdade sempre ou apenas quando se esgotarem os recursos e não tiver mais nada a fazer?



Um comentário:

✿ chica disse...

Em questão de doença acho que a verdade deve sempre aparecer para os familiares que, depois, falam ou não toda ao paciente. Tomara tudo fique o melhor possível por aí e desejo FORÇA!!!E que ele não sofra! beijos,chica

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...